Ilha do Sal dá os primeiros passos na reciclagem de óleos

Com o intuito de reduzir os problemas associados às redes de esgotos, prevenir a danificação de infra-estruturas de saneamento, bem como a poluição de águas, a Câmara Municipal do Sal e a Sociedade Portuguesa OLEOTORRES -Óleos Vegetais, Lda rubricaram, um protocolo de colaboração, que visa essencialmente a recolha e valorização dos óleos alimentares usados produzidos no Município do Sal, provenientes dos sectores da restauração, hotelaria, refeitórios, bem como do sector doméstico.

Aproveitando a vasta experiência da Sociedade OLEOTORRES em matéria de reciclagem de óleos alimentares, a Câmara Municipal irá desenvolver um projecto de recolha e valorização de óleos alimentares no Concelho, pelo que a autarquia irá disponibilizar um espaço (estaleiro) à Sociedade OLEOTORRES para armazenamento dos recipientes de recolha (tanques de armazenagem, barricas de recolha entre outros) até ao envio para Portugal. A Câmara Municipal do Sal compromete-se ainda a constituir progressivamente uma rede de recolha selectiva municipal, disponibilizando pontos de recolha em número concordante com a produção local.

Nos termos do protocolo rubricado, a Sociedade OLEOTORRES obriga-se, na primeira fase, a proceder à recolha dos óleos alimentares usados (OAU) na restauração, hotelaria e refeitórios e numa fase posterior a recolher os OAU depositados nos recipientes (óleos) depositados na via pública para deposição dos resíduos com origem doméstica.

protocoloA sócio-gerente da empresa OLEOTORRES, Maria do Carmo Ferreira, disse que espera colher bons frutos com essa parceria e acredita que essa experiência será uma grande mais-valia para o Município do Sal, sobretudo em matéria de protecção e conservação do meio ambiente.

Sabendo que o principal destino dos óleos usados tem sido o despejo na rede de esgotos, o que causa poluição e obstrução dos filtros existentes, causando o mau funcionamento, Maria do Carmo Ferreira salientou que a OLEOTORRES irá apoiar a autarquia no desenvolvimento de uma campanha de sensibilização ambiental junto dos restaurantes, hotéis e população em geral sobre as normas subjacentes à gestão dos óleos alimentares, bem como das vantagens da recolha selectiva e do respectivo encaminhamento para valorização.

De referir que o óleo alimentar depois de reciclado é utilizado em indústrias químicas para fabrico do sabão, detergentes, lubrificantes, tintas, graxas e bio-combustíveis (biodiesel).

In: Associação Nacional dos Municípios Caboverdianos

Apoio

maiscentro qren ueuropeia  

Certificações

certificado